sexta-feira, 15 de junho de 2012

Palhaços levam coscientização ambiental através do humor

 


A consciência ecológica tem sido passada através de todos os meios, inclusive, artísticos. O grupo de palhaços dos Treinadores da Alegria é um exemplo de como a arte pode ser um eficaz instrumento na luta pela aplicação dos conceitos sustentáveis.

Há uma semana, os palhaços Lelé e Dacuca, inspirados em personagens de Charles Chaplin, realizaram uma ação em dois pontos da Avenida Paulista. Ambos disfarçados de agentes do Governo entregaram resíduos para as pessoas que passavam pelo local. A ideia era alertar que a rua já está tão cheia de entulhos que não há mais espaço, desta forma, cada um deveria cuidar do seu próprio lixo.

Os Treinadores da Alegria buscam sensibilizar o poder público, empresas, cidadãos e deixar claro que a responsabilidade pelo lixo produzido é de toda a população. A sustentabilidade não pode ficar a cargo de apenas um setor, pelo contrário, a construção de um modo de vida com menos impacto depende de todos.

O coordenador da trupe, Eduardo Mancini, que também é defensor do meio ambiente, passou a ter interesse por esta área quando o grupo de uma peça em que atuava decidiu reciclar tudo que foi usado no espetáculo. Desde então, as mensagens ambientais são levadas ao público.
Atualmente, as apresentações abordam temas como coleta seletiva de lixo, reciclagem de materiais, poluição, redução do consumo de água e energia elétrica, gases tóxicos, efeito estufa, chuvas ácidas, camada de ozônio, queimadas em florestas, entre outros assuntos.

A ação nas ruas é incomum, geralmente, o grupo trabalha com empresas e escolas. Mesmo assim, mais de cem mil espectadores já assistiram às peças que, através do humor, conquistam o público.

Fonte: www.ciclovivo.com.br

Nenhum comentário :

Postar um comentário