terça-feira, 3 de julho de 2012

Projeto Profissão Catador: Entre o viver e o sobreviver do lixo

 


Nos últimos anos cresceu o trabalho de coleta e venda ou troca de materiais recicláveis como uma forma de obter renda por catadores que atuam informalmente no processo de catação e seleção e são responsáveis por grande parte da coleta de lixo gerado nas cidades. Trata-se de trabalhadores empobrecidos que encontram nesta atividade autônoma uma possibilidade de geração de renda. Em geral, os materiais coletados são: papel, papelão, latinhas de alumínio e plásticos.

A trajetória de trabalho da Fundação Universidade de Cruz Alta com os catadores de materiais recicláveis tem início em 2006 a partir da extensão universitária com o projeto de Auto-Gestão para Geração de Trabalho e Renda com Catadores de Materiais Recicláveis – AGETREC, financiado pelo CNPq. Este teve como objetivo principal construir coletivamente alternativas para geração de trabalho e renda e melhoria das condições de vida.

A Fundação Universidade de Cruz Alta, mantenedora da Universidade de Cruz Alta, é uma instituição de direito privado e de caráter comunitário. Na estatal, e em consonância com sua condição de Universidade Comunitária, a UNICRUZ através de sua mantenedora busca continuamente através da extensão universitária a articulação com a comunidade regional, no sentido de contemplar os mútuos interesses.

Em novembro de 2006 foi inaugurada a primeira associação  - ACCA ( Associação de Catadores de Cruz Alta), local de coleta, separação, armazenamento e comercialização de materiais recicláveis no Bairro dos Funcionários. Em 2009 o Instituto VONPAR através do edital da rede de parcerias sociais do Estado do Rio Grande do Sul, disponibilizou recursos para alguns equipamentos necessários para a atividade. Ainda no mesmo ano, foi inaugurada a segunda associação – ARCA (Associação de Recicladores de Cruz Alta), Bairro Acelino Flores construído com recursos pleiteados pelo poder público municipal. A UNICRUZ auxiliou na formação do grupo, na elaboração da metodologia de trabalho e controle financeiro. Em dezembro de 2009 foi aprovado outro projeto pelo CNPq – AFOSECA (Alternativas de Fortalecimento para a Organização Social e Econômicas dos Catadores de Cruz Alta) com vistas a melhorar as condições de vida dos catadores visando à geração de trabalho e renda.

No primeiro semestre de 2010 se aprovou o segundo projeto através da rede de parceria social do Estado do Rio Grande do Sul – Reciclar para transformar: Possibilidades de melhoria na qualidade de vida dos associados da ACCA.

Todo o trabalho culminou em 2010 com a aprovação do projeto Profissão Catador: Entre o viver e o sobreviver do lixo em edital do Programa Desenvolvimento e Cidadania da Petrobras com aporte significativo de recursos para fortalecer o trabalho nas duas associações existentes, criar mais duas associações no município e uma central regional de comercialização de resíduos.

O projeto constituiu-se numa oportunidade de implementar uma tecnologia social para acompanhamento da organização dos catadores no município de Cruz Alta/RS através da extensão universitária. Desde a aprovação do primeiro projeto, a Unicruz vem mantendo ações voltadas a grupos de catadores, sendo que o início desse processo organizativo foi marcado pela apresentação da própria situação por parte dos catadores, inconformados com sua atual situação de exploração e discriminação. A comunidade assinala, nesses espaços, suas expectativas de modificação da situação, através do interesse de construir formas de trabalho coletivo e iniciando um processo de discussão sobre a consolidação das associações, permitindo viabilizar empreendimentos solidários para geração de renda.

Concomitantemente a realização dos projetos, surge a oportunidade de implantar a Coleta Seletiva na Universidade de Cruz Alta – o ICS, com o objetivo de praticar ações para realização da coleta seletiva no campus universitário e destinar os resíduos recicláveis descartados aos grupos de catadores organizados no município de Cruz Alta.

O poder público municipal é parceiro em todos os projetos para a organização dos catadores e implemento ou em todas as secretarias municipais a coleta seletiva solidária e incentiva a educação ambiental junto a população para a separação dos resíduos como requisito inicial pra a preparação da institucionalização da coleta seletiva.

Contribuindo para que a coleta seletiva seja um processo intrínseco de educação e não extrínseco por imposição.

Nenhum comentário :

Postar um comentário